publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 12 de dezembro de 2017.

jul
27
2011

Artista Plástica Bia Dória lança livro sobre sua vida e suas obras em Campos do Jordão

por: - Atualizado: 27/07/2011 18:53
"Eu aprendi observando a exuberância que a região do vale de Campos oferece". Afirma a escultora.

Bia Dória lança livro em Campos do JordãoNo último sábado, dia 23 de julho, o Shopping Nestlé Market Plaza em Campos do Jordão recebeu coquetel de lançamento do livro da artista plástica Bia Dória.

A tarde de autógrafos contou com a presença de seu marido, o empresário e apresentador João Dória Jr., além de autoridades da cidade e convidados especiais.

As 304 páginas do livro, impresso em dois idiomas, mostram um pouco da vida da artista e sua relação com as artes plásticas, além de belas fotos de suas obras.

Representante da Arte Contemporânea Sustentável, Bia Dória tem suas obras feitas a partir de árvores nativas resgatadas de queimadas, desmatamentos e fundo de rios.

Bia, que estudou design de moda na Itália, afirma que nunca estudou artes. E que a idéia de criar a partir de madeira descartada surgiu enquanto passeava pelas paisagens de serra da Mantiqueira.

“Eu aprendi observando a exuberância que a região do vale de Campos oferece”. Afirma a escultora.

Bia Dória e o estilista Ricardo AlmeidaEm seus 11 anos de carreira como artista plástica Bia foi influenciada pelo escultor polonês Frans Krajcberg, que foi conhecer após ouvir das pessoas comparações com seu trabalho. “Olha, para isso você tem futuro!” fala Bia Dória imitando o sotaque artista da Polônia radicado no Brasil, de quem se tornou aluna e amiga.

Nascida no interior do Estado de Santa Catarina, Bia tem descendência Italiana e cresceu em uma fazenda, onde as gigantes araucárias também fazem parte da vegetação, assim como Campos do Jordão, cidade que inspirou suas obras.

Bia afirma que no momento está desenvolvendo um trabalho encomendados por alemães, que a contrataram para contar a história das raízes da floresta brasileira através de suas esculturas.

Este trabalho de 2 anos será composto de 25 esculturas grandes, onde deverá existir uma mensagem de preservação ambiental. Segundo Bia os europeus viram em sua arte as raízes da floresta brasileira.

Fotos: Cristiano Tomaz