publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 22 de novembro de 2017.

mar
27
2014

Auditório e Museu Felícia Leirner informam melhorias e destacam programação Cultural

por: - Atualizado: 27/03/2014 19:02
Atendimento e programação tem destaque entre as mudanças - Ouça a entrevista.

Museu Felícia Leirner em Campos do JordãoOs dois espaços destinados exibições culturais – Auditório Cláudio Santoro e o Museu Felícia Leirner – estão passando por uma serie de melhorias, que visam ampliar o atendimento para o público em Campos do Jordão.

O anúncio foi realizado no evento que reuniu, na última quarta-feira, profissionais da rede turística para uma aproximação e divulgação das atrações que acontecem ali.

Durante o evento, a gerente Marina Falsetti falou sobre as ações que a instituição ACAM Portinari, responsável pelos dois espaços, está realizando.

Além da criação de um receptivo na entrada, foram realizadas também ações de manutenção predial, com a recuperação de diversos espaços do Museu e Auditório.

Outro aspecto que teve melhoria foi implementação de um atendimento especializado, que conta com uma equipe de educadores preparada para atender a diferentes públicos.

Em relação a programação cultural, está sendo criada uma agenda anual. Pois um dos objetivos da instituição é que o Auditório Claudio Santoro seja reconhecido não apenas pelo Festival de Inverno, mas também por receber apresentações o ano todo.

Dentre as atrações estão programações com ações lúdicas para atender família e também ligadas ao meio ambiente.

Também estão sendo realizadas apresentações em sequência como a série “Chorinho no Museu”, que mensalmente leva artistas para interpretar o ritmo brasileiro no palco do Auditório.

Sobre o Museu Felícia Leiner é importante destacar que ele possui alguns diferenciais que chamam a atenção em relação a outros museus.

“A começar que nosso museu é um museu a céu aberto. Então já causa realmente um espanto. A gente não tem parede, não tem peça antiga. É um museu que coexiste com o meio ambiente”. Explica a gerente.

O espaço expõe 84 esculturas, que estão espalhadas pelo belo jardim, cercado pela vegetação da serra. Também é importante citar que todas as obras são de uma única artista, Felícia Leirner, e foi ela quem selecionou os locais onde ficam cada uma das peças.

“É um museu bastante diferente que a gente tem a oportunidade de vivenciar aqui dentro deste espaço.” Completa Marina.

Foto: Cristiano Tomaz

Ouça a entrevista