publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 22 de novembro de 2017.

jan
21
2010

Campos do Jordão, a Suíça Brasileira que respira cultura o ano todo

por: - Atualizado: 21/01/2010 17:02
Saiba mais sobre a história e cultura de Campos do Jordão.

Em diversos pontos turísticos da cidade é possível conferir a história que compõe a cultura do povo jordanense e do país.

Gruta dos CrioulosComo exemplo da história que faz parte do país, podemos citar a Gruta dos Crioulos. Quem a visita pode sentir a energia do local, que no tempo da escravidão servia de abrigo para os fugitivos das fazendas das regiões vizinhas, e que desde então conserva toda a beleza natural da época.

Conhecida como um pólo de referência da música clássica e erudita, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão teve início na década de 60 nas dependências do Palácio Boa Vista. Construída para ser a casa de veraneio do Governador do Estado, em abril de 1970, o então governador Abreu Sodré organizou uma cerimônia solene para oficializar o palácio comoPalacio Boa Vista “Monumento Público do Estado de São Paulo”, abrindo assim suas portas para a visitação.

Imaginando um grande evento para comemorar a nova fase do palácio, inspirou-se no Festival de Mozart que era realizado em Salsburgo (Áustria), para criar o “Primeiro Concerto de Inverno de Campos do Jordão”. Desde então, o Festival tornou-se internacionalmente reconhecido por seus grandes concertos, óperas e apresentações realizadas todos os anos na cidade.

O Palácio Boa Vista possui um vasto acervo de obras de grandes artistas contemporâneos, mobílias datadas dos séculos XVII e XVIII, cristais, porcelanas, objetos religiosos entre outras peças de grande valor artístico.

Auditorio Claudio SantoroAtualmente, a sede oficial do Festival é o Auditório Cláudio Santoro, considerado também o principal palco de apresentações de peças teatrais, musicais, danças e de encontros de grandes eventos realizados durante o ano em Campos do Jordão, devido à estrutura e acústica construída no local.

No jardim do Auditório, em uma área de aproximadamente 350.000 m2, localiza-se o Museu Felícia Leirner, onde há cerca de 108 obras gigantescas da artista polonesa, com figuras no formato zoomórfico e humano, esculpidas em bronze e cimento branco. As obras estão expostas ao ar livre, e se misturam entre a natureza e as alamedas que compõem o jardim. A escultora Felícia Leirner, nascida em Varsóvia, era apaixonada pela cidadeMuseu Felicia Leirner e é considerada uma das figuras importantes que contribuiu significantemente para a cultura da população.

Outro colaborador, e não menos importante figura de Campos do Jordão é o Sr. Antônio Costella, que em 1987 fundou a Casa da Xilogravura, em Vila Jaguaribe. O local foi criado para divulgar, expor e perpetuar esta arte que teve origem na China durante a Idade Medieval.

Casa da XilogravuraEsta arte nada mais é do que a técnica de entalhes em madeira, que possibilita a reprodução de imagens e textos sobre o papel, através de um processo parecido com o carimbo. A Casa da Xilogravura acolhe obras de grandes artistas, e busca ensinar a técnica que inicia na escolha da madeira, até sua arte final.

Visite Campos do Jordão e aproveite o seu passeio para conhecer um pouco mais sobre a história e a cultura da cidade.