publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 28 de março de 2017.

jan
06
2007

Confira as dicas do Senac para o consumo de cerveja

por: - Atualizado: 06/01/2007 12:24
Com a intenção de estimular e valorizar os profissionais da área de gastronomia e enologia atuantes em Campos do Jordão, o Portal NetCampos.com convida profissionais da área para comentar e dar importantes dicas sobre o tema.

CervejaCom a intenção de estimular e valorizar os profissionais da área de gastronomia e enologia atuantes em Campos do Jordão, o Portal NetCampos.com convida profissionais da área para comentar e dar importantes dicas sobre o tema.

A rica gastronomia de Campos do Jordão, reconhecida nacionalmente, completa uma importante fatia do turismo local e tem merecido destaque nos meios de comunicação de todo País, assim como as belezas naturais que Campos oferece.

Um bom exemplo disso é o Roteiro Gastronômico, que durante o ano vem atendendo através de suas criações, os mais exigentes gostos e necessidades, primando pelos produtos característicos da região e clima das montanhas.

Com uma abordagem bastante variada e descontraída, diversos profissionais demonstrarão seus pontos de vista e opiniões sobre a diversificada área gastronômica da cidade, que compreende diferentes culturas do mundo, fazendo uma leitura sofisticada das cozinhas contemporânea, francesa, italiana, alemã, oriental, regional etc.

Esta interação pretende também realçar o paladar dos visitantes que prezam por uma requintada mesa somada ao clima europeu de Campos, resultando em uma perfeita combinação de prazeres.

Semanalmente, diversos assuntos sobre preparação e consumo de pratos e bebidas, serão abordados por profissionais renomados que atuam em Campos do Jordão e compõem esta tão prazerosa atração da cidade.

Para inaugurar este novo espaço disponibilizado aos meios de gastronomia, o Centro Universitário Senac – Campus Campos do Jordão, reforçando parceria com o Portal NetCampos.com, cedeu o docente de Enologia e Gestão de Alimentos e Bebidas Sérgio Donizeti da Silva para falar sobre a produção e o consumo de cervejas.

Confira o artigo abaixo:

Consumo de cerveja com moderação até faz bem

Sergio Donizete da SilvaA água, o malte, o lúpulo e o fermento são os quatro elementos fundamentais para a composição da cerveja. Em muitos países, menos na Alemanha, o milho, o arroz e o trigo substituem parcialmente o malte. O açúcar, em pequenas proporções, também pode ser um dos ingredientes.

A cerveja existe há milênios e provavelmente foi descoberta por acaso, quando uma mistura de água e cereais entrou espontaneamente em fermentação e foi provada e aprovada por uma pessoa. Desde então, o homem aperfeiçoa sua criação.

Muito antes de o conhecimento científico ser estabelecido, os europeus desenvolviam técnicas de produção com uma seleção permanente de matérias-primas que aprimoraram sua fabricação. Surgiu, assim, a arte cervejeira, enraizada em lugares como Alemanha, Bélgica e a antiga Checoslováquia.


Na maioria dos países, inclusive no Brasil, é comum substituir parte do malte da cevada por outros cereais, os adjuntos. Os mais usados são o arroz e o milho, mas pode ser qualquer outra fonte de amido. O recurso dá uma vantagem econômica e resulta numa cerveja mais leve, feita só com malte de cevada.

Por ser um produto de origem agrícola, pode, em tese, ser fabricada de modo doméstico. A dificuldade está em conseguir uma produção pequena com equipamentos de controle de temperatura, além de meios de filtração e de manipulação do líquido em poucos volumes que sejam estanques ao oxigênio, o maior inimigo natural da cerveja, responsável pela perda do frescor e pela deterioração do sabor. É por isso que as tentativas domésticas sempre geram bebidas de qualidade inferior às das grandes indústrias.

As cervejas são classificadas pelo teor de álcool e de extrato, pelo malte e de acordo com o tipo de fermentação, que pode ser alta ou baixa. A classificação prevista pela legislação brasileira estabelece teor alcoólico máximo de 7% (menor que o do vinho, com média de 12%, e o da cachaça, de 40% a 50%). Já o teor de extrato determina a quantidade de calorias e também o tipo de malte e a cor da cerveja. As denominações de baixa e alta fermentação referem-se à posição do levedo no tanque no final do processo.

A bebida deve ser servida pura, em coquetéis, acompanhada de receitas ou pratos deliciosos. No entanto, só é preciso conhecer os tiposexistentes e suas características organolépticas, como cor, sabor, aroma e quantidade de álcool, e em seguida escolher os alimentos para compor uma perfeita combinação.

Por exemplo, cervejas de alta fermentação e com sabor acentuado vão bem com carnes fortes, defumadas e molho agridoce. As mais leves podem ser servidas com pequenas porções de petiscos, e dificilmente se afinam com refeições elaboradas.

Sérgio Donizeti da Silva, docente de enologia e gestão de alimentos e bebidas dos cursos superiores de Tecnologia em Hotelaria e Tecnologia em Gastronomia do Centro Universitário Senac – Campus Campos do Jordão, e consultor de empreendimentos de serviços de alimentos.