publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 19 de janeiro de 2017.

abr
25
2006

Haras Polana leiloa cavalos holandeses e poloneses de alto desempenho

por: - Atualizado: 25/04/2006 10:14
O III Concurso Hípico promovido pelo Haras Polana, em Campos do Jordão, São Paulo, realizado entre os dias 14 a 16 de abril, contou com a participação de cerca de 70 cavaleiros e amazonas. O evento na cidade serrana teve uma atração especial, o segundo leilão no Brasil de doze cavalos do holandês VDL SportHorses, um dos maiores criadores de eqüinos de alta performance do mundo. O valor total das vendas dos animais foi de aproximadamente US$ 361.000 (ou R$ 771.000) e o cavalo vendido pelo maior valor foi Wegonda VDL, por US$ 42.957 (ou R$ 91.500). A média do valor pago pelos cavalos de salto foi de aproximadamente US$ 30.000 (ou R$ 63.000) e a dos cavalos árabes foi de US$ 2.300 (ou R$ 4.900). A surpresa da noite foi o leilão de Fofinho, um pônei árabe de apenas 11 meses, que foi arrematado por US$ 2.465 (ou R$ 5.250).

Concurso Hípico reúne cavaleiros e amazonas de todo o país

O III Concurso Hípico promovido pelo Haras Polana, em Campos do Jordão, São Paulo, realizado entre os dias 14 a 16 de abril, contou com a participação de cerca de 70 cavaleiros e amazonas. O evento na cidade serrana teve uma atração especial, o segundo leilão no Brasil de doze cavalos do holandês VDL SportHorses, um dos maiores criadores de eqüinos de alta performance do mundo. O valor total das vendas dos animais foi de aproximadamente US$ 361.000 (ou R$ 771.000) e o cavalo vendido pelo maior valor foi Wegonda VDL, por US$ 42.957 (ou R$ 91.500). A média do valor pago pelos cavalos de salto foi de aproximadamente US$ 30.000 (ou R$ 63.000) e a dos cavalos árabes foi de US$ 2.300 (ou R$ 4.900). A surpresa da noite foi o leilão de Fofinho, um pônei árabe de apenas 11 meses, que foi arrematado por US$ 2.465 (ou R$ 5.250).

Estavam presentes importantes nomes do hipismo brasileiro, como Marcos Antônio da Costa Ribeiro Junior, Tomas de Moraes Dantas, José Roberto Reynoso Fernandez Filho e Marcello Artiaga de Castro. Além dos esportistas, marcaram presença criadores, empresários e investidores. Dentre eles, o dono da editora Companhia das Letras, Luiz Schwarcz, o presidente da Sociedade Hípica Paulista, Renato de Moraes Dantas, o ex-ministro da Previdência Social, Sérgio Cutolo, e o fotógrafo Fabrizio Fasano.

Vencedores do Concurso Hípico

O III Concurso Hípico, que faz parte do Calendário Hípico Nacional, reuniu cavaleiros e amazonas de todo o Brasi O primeiro lugar no Grande Prêmio Polana, a principal competição do concurso, foi conquistado pelo cavaleiro paraense Felipe Juarez, que montou Stephen. O vice-campeão foi gaúcho Dênis Gouveia com VDL Cantona. O experiente cavaleiro Marcos Antônio da Costa Ribeiro Junior ficou em terceiro lugar, montando Pio Belo Pulmam. Além dos vencedores do GP Polana, vale destacar a performance de Tomas de Moraes Dantas. O jovem cavaleiro que disputou pela primeira vez a categoria junior (14 a 18), não se intimidou com os adversários e venceu a prova de 1.30m de sexta-feira. Com apenas 14 anos, o talentoso cavaleiro faz parte da Equipe Polana de Hipismo e já é um colecionador de títulos: está em primeiro lugar no ranking da Federação Eqüestre Internacional, categoria infantil, foi vice-campeão sul-americano mirim e campeão brasileiro infantil. As provas foram disputadas em quatro alturas – 1,10m, 1,20m, 1,25m, 1,35m – divididas em diversas categorias.

O ponto alto da noite de sábado foi o segundo Leilão VDL/Polana de cavalos holandeses no Brasil, que atraiu para a região empresários, investidores, famosos e curiosos. Às 19 horas, cerca de 350 pessoas aguardavam o início do evento, sob uma tenda montada nos jardins do Polana. Circulavam pelo VIP lounge, garçons com garrafas whisky Glenfiddich, cerveja Baden Baden e vinhos enoteca Fazano, patrocinadoras do evento, além de canapés e petiscos. Os homens de paletó e gravata e as mulheres nos seus casacos de couro e botas de salto garantiam a elegância do evento. Nas laterais, quinze pôsteres dos animais, fotografados por Fabrizio Fazano, eram entregues aos seus compradores juntamente com uma garrafa personalizada de whisky Glenfiddich. No palco, uma tela plana de cristal líquido passava filmes apresentando os cavalos que seriam leiloados logo em seguida. Também patrocinaram o evento, a fabricante de automóveis Toyota, Seguradora Brasileira Rural, Hipos, fornecedora de materiais hípicos, Protecnica, especializada em produtos veterinários, ração Royal Horse, e Helisolutions, administradora de frotas de helicópteros de propriedade compartilhada.

Projetos sócio-ambientais

Antes do início do evento, Paulo Bilyk, proprietário do Haras Polana, informou que 2% do valor arrecadado no leilão será doado para a Ame Campos, a maior Ong de Campos do Jordão que desenvolve projetos sociais e ambientais na cidade. Dando prosseguimento, foram apresentados os cavalos árabes poloneses, especialidade de criação do haras. Logo em seguida foram as grandes estrelas da noite: os doze cavalos holandeses importados do VDL SportHorses, um dos maiores criadores de cavalos para esporte do mundo. Dono do famoso haras, o holandês Wiepke van de Lageweg estava presente. “Estamos novamente aqui pois acreditamos muito nesta parceria com o Polana. Os brasileiros têm investido bastante em melhora genética e valorizado cada vez mais animais de alta qualidade”, informou.

No leilão foram ofertados quinze cavalos, sendo doze holandeses e dois de origem polonesa e um de origem belga. Realizado em quinze parcelas sem juros, o leilão não cobrava o valor do transporte dos animais da Holanda para o Brasil. Os animais são vendidos aclimatados, nacionalizados e com todos os papéis em ordem. Eles estão no Brasil desde dezembro do ano passado. O cavalo mais caro, a égua Wegonda VDL – foi vendida por, aproximadamente, US$ 43.000 (ou R$ 91.500). A égua, de apenas 3 anos, é filha de Corland, um dos maiores garanhões da Europa e tem sangue de Cor de La Brie e Quidam de Revel – ícones entre os cavalos de salto. O segundo maior lance foi de US$ 42.253 para o cavalo Willen VDL. O animal é filho de Indoctro, garanhão que possui o segundo maior índice genético entre todos os garanhões alemães e lidera o ranking de melhor pai de garanhões dos EUA.

Para Paulo Bilyk, este convênio com o VDL traz uma grande oportunidade para o Brasil e para o Polana. O empresário acredita que o país se beneficiará muito da mistura genética com os animais holandeses, uma vez que eles trazem o sangue de linhagens campeãs na Europa.

O criador Lageweg também vê um horizonte à frente. “Daqui a dois ou três anos os compradores verão o ótimo negócio que fizeram. Esperamos fazer uma parceria de vários anos com o Paulo Bilyk”, disse ele. No ano que vem, também na Páscoa, o Polana já planeja um novo leilão com animais do VDL. “Queremos entrar para o calendário de Campos do Jordão e movimentar a cidade nos meses que antecedem o Festival de Inverno. .

Show Pônei Clube Polana

Nos dois primeiros dias do campeonato, competidores e espectadores pararam para assistir à bela apresentação do Pônei Clube Polana. Montados em pôneis, crianças de 4 a 12 anos encenavam uma história de faroeste com direito a cawboys, índios e mocinha. O show faz parte de um projeto mais amplo da belga Françoise Denis, que é o de disseminar a cultura de ensino da montaria em tamanho adequado, que são os pôneis clubes. Com o apoio do Paulo Bilyki Haras Polana, Françoise veio para o Brasil com os seus pôneis para divulgar essa prática tão comum na Europa. “Mais de 80% dos cavaleiros internacionais aprenderam a montar em pôneis. O Brasil é um dos poucos lugares onde crianças ainda aprendem a montar em cavalos grandes”, afirma Françoise.

E é no Haras Polana que está instalado o primeiro pônei clube do Brasil. Lá, crianças dos bairros próximos ao Polana, juntamente com filhos de cavaleiros e criadores, aprendem a base da boa equitação. “Estamos muito felizes em poder contribuir para o desenvolvimento dessas crianças não só no esporte, como também na sua formação. Está provado que o contato com o animal ajuda a criança a crescer, aprender a respeitar as pessoas e os bichos e a firmar sua personalidade. Torcemos para que este projeto seja implantado em outras regiões do Brasil, diz Paulo Bilyk.

Concerto Bolsistas Ame Campos

Para encerrar o III Concurso Hípico Polana, no domingo, foi realizado um concerto com música de Chopin apresentado pelos bolsistas da Associação Ame Campos Flavio Martino, Flavio Lago e Ayumi Shigueta. Graças ao grande talento para a música, esses meninos ganharam da Ame Campos e do Haras Polana uma bolsa para participar como espectadores do concurso internacional de Chopin, em Varsóvia, Polônia, realizado em outubro de 2005. Em troca, nos próximos 12 meses, os jovens músicos darão aulas de iniciação musical a crianças da rede pública de ensino de Campos do Jordão.

O evento no Haras Polana marcou também a “reinauguração” de um piano Steinway. O instrumento, que foi totalmente restaurado, foi doado pela Ame Campos à Fundação Magda Tagliaferro, que realizará trabalho social e profissionalizante com crianças sem recursos financeiros de Campos do Jordão.