publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 27 de março de 2017.

jun
15
2010

Hospital São Camilo inaugurou departamento de reabilitação psicossocial

por: - Atualizado: 15/06/2010 12:41
Hospital Dia passa a ser referência no tratamento em Campos do Jordão

Hospital São CamiloNa última quinta-feira, 10 de junho, aconteceu a inauguração do Hospital Dia da Sociedade Beneficente São Camilo, mantenedora do Hospital Leonor Mendes de Barros. O departamento começa a prestar serviço ambulatorial de tratamento e de reabilitação psicossocial na dependência química, atendendo a pacientes da cidade de Campos do Jordão e da região.

O Hospital Dia passa a ser referência no tratamento e tem como principal objetivo de oferecer assistência integral, baseadas em evidências científicas voltadas a usuários de álcool e outras drogas, como prevenção à recaídas, trabalhos para promover a motivação e seqüência de 12 passos de grupos de autoajuda, combinados quando houver necessidade de medicação.

Sua estrutura completa conta com recepção e sala de espera, dois consultórios, refeitório, sala de terapia ocupacional, sala multiuso para palestras e apresentação de vídeos, área de apoio, posto de enfermagem e duas salas de observação com 2 leitos para desintoxicação e repouso.

A assistência prestada aos pacientes com transtornos decorrentes de substâncias psicoativas inclui as atividades como atendimento individual (medicamentosa e psicoterápica), atendimento em grupos e de suporte social, oficinas terapêuticas, atendimento aos familiares, atividades comunitárias focadas na integração social do dependente químico e atendimento de desintoxicação com intervenção de psiquiatra e enfermagem.

Para dirigir todo esse complexo, conta com apoio e infra-estrutura profissional de médico psiquiatra, psicólogas, terapeuta ocupacional, educador físico, enfermeira, técnicos de enfermagem, nutricionista e assistente social.
 
O Hospital Dia tem como retaguarda uma unidade clínica de tratamento intensivo para usuários de álcool e outras drogas em regime de internação, com 12 leitos, em enfermarias de 2 e 3 leitos e apartamentos, além de contar com toda a infra-estrutura do Hospital Leonor Mendes de Barros, ou seja, laboratório de análises clínicas, radiologia, tomografia, mamografia, ultrassonografia, unidade de alimentação e nutrição, serviço de processamento de roupas, serviços de higiene e limpeza, administrativo e manutenção. Os serviços de Hospital Dia e de internação estão disponíveis para particulares, convênios e empresas conveniadas.

Prestigiaram a solenidade de inauguração os diretores da Sociedade Beneficente São Camilo – o presidente, Pe. José Maria dos Santos; o Superintendente, Pe. Niversindo Antonio Cherubin; o Superintendente dos Hospitais do Sul, Pe. Justino Scatolin; o Superintendente dos Hospitais de São Paulo, Pe. Antônio Mendes de Freitas; e o Diretor Geral, Domingos Sávio Alves de Faria.

Estiveram presentes ainda o Deputado Estadual, Pe. Afonso Lobato; a Secretária da Saúde – representando a prefeita Ana Cristina Machado Cesar, de Campos do Jordão – Sra. Rosângela Fillipo; e os diretores do Hospital Leonor Mendes de Barros, o diretor administrativo João Marcos Bustamante Romain e o Diretor de Procedimentos Psiquiátricos, Dr. Marcelo Antunes; Sra. Tatiana Amaral, Articuladora de Saúde Mental, representando a Diretora Regional de Saúde – Sra. Sandra Tutiashi, além de autoridades e personalidades locais e regionais.

Mais sobre o Hospital Leonor Mendes de Barros
Aos 10 de junho de 1947, Dona Leonor Mendes de Barros, no Palácio dos Campos Elíseos, fundava a Bandeira Paulista Contra Tuberculose. É que passando férias regulares em Campos do Jordão, com seu marido Adhemar de Barros e os filhos, comovia-se a ilustre dama paulista com a deplorável cena de doentes dormindo nas vias públicas, com fome e padecendo de frio.

Daí surgiu a idéia, em perfeita sintonia com a comunidade Jordanense, de construir um abrigo onde pudessem ser recolhidos e assistidos os tuberculosos carentes, que não dispunham de qualquer recurso para custear o tratamento.

Graças aos esforços de Dona Leonor e a mobilização das autoridades e do povo jordanense, foi possível a inauguração do Abrigo “Leonor Mendes de Barros”, em 15 de novembro de 1947. Nesse mesmo dia Dona Leonor lançou a pedra fundamental do Abrigo “Januário Miráglia”, que edificado em terreno adjacente, foi inaugurado em 26 de maio de 1948.

Com o correr dos anos, os pavilhões começaram a ceder, os alicerces a ruir e as instalações a envelhecer, o que levou Dona Leonor a convocar suas companheiras da Bandeira Paulista Contra a Tuberculose, no sentido de realizar seu grande sonho, a construção de um novo Hospital. Teve a sorte de encontrar a figura dinâmica e lutadora de Dona Amélia Imam de Oliveira Pitta que assumiu a liderança e a responsabilidade da construção.

A Bandeira Paulista recebeu logo a doação de um terreno do Conde Francisco Matarazzo Júnior. Assim, graças à grande campanha desenvolvida que mobilizou recursos da União, Estado e doações da indústria paulista, donativos do comércio e de benfeitores particulares, foi possível aos 8 de março de 1975 ser inaugurado o Hospital “Leonor Mendes de Barros”, logo à entrada da cidade de Campos do Jordão.

Após a morte de sua fundadora em 09 de maio de 1992, o hospital foi dirigido por seus filhos, Maria Barros de Figueiredo Ferraz e Adhemar de Barros Filho, atualizando-o em seu aspecto gerencial e tecnológico. Em Assembléia Geral, realizada aos 27 de setembro de 2004, o Hospital Leonor Mendes de Barros, foi doado em comodato à Sociedade Beneficente São Camilo.

Saiba mais sobre a Sociedade Beneficente São Camilo
Os camilianos chegaram ao Brasil em setembro de 1922. Hoje os religiosos camilianos estão presentes em sete Estados do Brasil, tendo sua “Casa-mãe” e suas principais instituições na Capital de São Paulo. Mas sua atividade se estende pelo Brasil afora, graças aos colaboradores leigos a aos numerosos profissionais formados em seus institutos de ensino, inspiradas no Evangelho e pautadas pelas diretrizes pastorais e normas éticas da igreja católica, destacando-se entre elas a “Sociedade Beneficente São Camilo” (na área do serviço à saúde) e a “União Social Camiliana” (na área do ensino).
 
As entidades e instituições camilianas visam servir, da melhor maneira possível e sem discriminação, especialmente as camadas mais carentes do nosso povo, reinvestindo em suas finalidades filantrópicas os eventuais resultados econômicos que possam vir a ter.
Diversos são os hospitais, recantos para idosos, clínicas, postos de saúde, espalhados pelo Brasil.
 
Merecem menção especial os Hospitais São Camilo: Pompéia, Santana e Ipiranga, e o Centro Universitário São Camilo (Ipiranga), em São Paulo, e o Hospital São Camilo e São Luís (em Macapá), com sua irradiação em toda a região carente da bacia do Amazonas.
É ideal e empenho dos camilianos garantir saúde holística e condições de vida digna a todos, com atenção especial pelos mais abandonados e excluídos.
 
Na América Latina, além do Brasil, os Camilianos estão presentes e atuantes na pastoral da saúde e no ensino da bioética na Argentina, Chile, Peru, Equador, Colômbia e Haiti, além de desenvolverem atividades esporádicas também em outros países.