publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 20 de setembro de 2017.

set
05
2017

Vinho é a sua harmonia perfeita em Campos do Jordão

por: - Atualizado: 05/09/2017 10:06

Uma boa refeição ou bom momento em Campos do Jordão fica ainda mais saboroso com um bom vinho. As temperaturas amenas, um bom cenário, uma lareira, aquela companhia ou pessoas especiais; toda essa composição é o clima ideal para abrir uma boa garrafa e brindar cada ocasião.

Além dos restaurantes que trazem verdadeiros sabores gastronômicos e que é certeiro um bom vinho transforme a refeição em um único, a cidade oferece alguns recantos especializados em vinhos, onde pode ser adquirido aquele rótulo que dará o sabor especial ao momento na serra.

Empório Matterhorn: com mais 30 anos, o empório está no coração de Vila Capivari, em frente a Praça São Benedito, nesse recanto que traz além de 100 rótulos de vários países, o espaço ainda oferece uma iguarias que valem a pena levar para acompanhar uma boa taça.  No piso superior, os interessados ainda podem apreciar toda a culinária franco-suíça do restaurante Matterhorn acompanhado de um bom vinho. – End: Av. Macedo Soares, 93 – loja 18 – Shopping Boulevard Geneve – Vila Capivari – F: (12) 3663-1841/ 3663-3807.

Santo Vinho: Localizado próximo ao burburinho de Vila Capivari, esse é uma das opções para adquirir aquela garrafa. Com 60 rótulos, provenientes de sete países, o espaço traz vinhos nacionais, inclusive produzido na Serra da Mantiqueira, além do Chile, Argentina, Portugal, Espanha. Av. Macedo Soares, 262 – Shopping Carmim – Vila Capivari – F: (13) 99788-5441.

La Rioja: Que tal antes de se despedir do burburinho de Vila Capivari, passar em uma adega ali bem próxima e garantir uma garrafa para mais tarde ou para o dia seguinte. A La Rioja é uma das suas opções para adquirir um bom vinho e fazer seus dias na serra ainda mais surpreendentes. End: Rua Djalma Forjaz, 130 – Espaço Via Campos – Capivari -F: (12) 3663-3241/

Vinho SP: em Campos do Jordão, é um dos espaços certos para você encontrar aquele rótulo que deixará o momento ainda mais especial. No total é mais de 200 rótulos, não encontrado no mercado convencional, entre vinhos, frisantes e espumantes provenientes do Brasil, Argentina, Portugal, Espanha, Chile, Francês. Para que aquele rótulo atenda as suas expectativas, durante a semana a loja oferece degustação de dois vinhos e nos finais de semana ainda podem provar vinho, frisante e azeites.. End: v. Dr. Januário Miráglia, 2594 – Jaguaribe – F: (12) 3662-4662

Enacoteca Fasano: Em um cenário que remete a uma adega, é uma das opções para apreciar um bom vinho ou ainda adquirir aquela garrafa que transformará aquele momento ainda mais surpreendente No local, o público poderá encontrar cerca de 80 rótulos, provenientes do Brasil, Argentina, Itália, França, Estados Unidos dentre outros. End: Av. Macedo Soares, 457 – Shopping Center Suíço – Vila Capivari – F: (12) 3663-6760

Boteco do Vinho: outro espaço que ainda vale a pena conhecer, saborear uma boa gastronomia e ainda garantir uma garrafa para surpreender aquela pessoa ou deixar aquela ocasião ainda mais saborosa. End: Rua Santa Tereza, 71 lj 01 e 02 – Vila Isabela  (ao lado do Portal de entrada da cidade)  – F: (12) 3662-5698.

Mais sobre o vinho: Não há um registro exato do surgimento do vinho, mas há apontamento que as uvas já fazia parte da dieta dos homens do Período das Pedras 8000 a.C, na região do Líbano, Turquia, Jordânia e Síria, no entanto os primeiros indícios de cultivo são registrados a cerca de 7000 – 5000 anos, no período em que o homem deixa a vida nômade e começa a fase sedentária, ou manter-se locado em uma região. No entanto, o vinho tornou-se uma bebida sagrada nos mais diversos povos desde o Egito antigo, Grécia, Roma e inclusive no catolicismo, ou seja, em cada uma das mitologias e religiosidade tem suas personagens que estão diretamente ligadas a essa bebida.

No mundo os principais países produtores de vinho são França, Portugal, Espanha, Argentina, Chile, Estados Unidos, África do Sul, Austrália, Alemanha, em cada um, desses países há destaque para produção de uma ou duas espécies de uvas. No Brasil pelas suas dimensões continentais são encontrados sete tipos de uvas como Syrah, Tannat, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot, Penoit Noir e Moscato.

Vinho faz bem para saúde? O vinho também possui benefícios para saúde, já que é um vasodilatador, diminuindo a pressão arterial, ao mesmo tempo em que possui flavonoides que auxiliam no controle do peso, bem como no combate a doenças cardiovasculares por contribuir com os níveis de colesterol e lipídeos que são responsáveis por placas de gorduras nos vasos sanguíneos. Ainda não conclusivos, mas há estudos que apontam que o resveratrol existente no suco de usa são um agente contra radicais livres e que combatem o surgimento de doenças cancerígenas. “No entanto o seu consumo diário deve ser de 200 ml, divididos em duas frações de 100 ml, acompanhando uma refeição”, como recomendação a Sociedade Brasileira de Cardiologia

Vinho no Brasil: as primeiras videiras chegaram ao Brasil das capitanias hereditárias, pelas mãos do Martim Afonso de Souza, em 1532, no entanto o seu cultivo na região litorânea da Capitania de São Vicente não teve o êxito esperado, sendo que anos mais tarde um dos seus expedicionários levou as mudas para os planaltos do território, onde demonstram melhor adaptação. Mas foi no período das Missões na região sul brasileiro, que as uvas chegaram à região pelas mãos dos jesuítas, que contavam com o apoio dos índios no cultivo e preparo da bebida que era usado nas cerimonias católicas.

Porém o cultivo do vinho no Brasil gerou grande dessabor fazendo com que a coroa portuguesa proibisse o plantio e produção de vinho, lei que foi revogada com a vinda da Família Real em 1808, onde a bebida ganhou destaque nas refeições, cerimonias e comemorações, em 1917, Manoel Macedo, Rio Prado (RS) consegue a primeira carta patente para produção de vinho, após a produção de 45 pipas (barril de aproximadamente 630 litros) de vinho, colocando o Rio Grande do Sul na rota da vinicultura.

No entanto, com a chegada das colônias alemãs e italianas às regiões, o cultivo da uva e a produção de vinho teve crescimento substancial, chegando a produzir cerca de 600 mil litros, apenas no Vale do Vinhedo (1881).  O Rio Grande Sul se tornou o principal estado produtor de vinho no Brasil, tendo inclusive criado grupos e associações, em 1928, que até hoje existem com o proposito de combater a grande concorrência e no primor pela qualidade do vinho.

E o terroir da região, inclusive, atraiu vinícola francesa que se instalou em meados do século XX, trazendo novas técnicas de cultivo e produção. Mas a elevação do cenário e qualidade da vinicultura brasileira se deu com a abertura do mercado econômico, em 1990, trazendo concorrência de vinícolas internacionais, fazendo com que a bebida fosse mais bem elaborada para competir com a mesma qualidade. Eno começo do século XXI, vinícolas na região Nordeste teve uma expansão na região do Vale do São Francisco.

No Brasil pelas suas dimensões continentais são encontrados sete tipos de uvas como Syrah, Tannat, Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Merlot, Penoit Noir e Moscato. Com uma produção em 2015 de aproximadamente 247,5 milhões de litros de vinho.