publico-adwords publico-face

Campos do Jordão, 22 de maio de 2017.

set
09
2004

Workshop no Hotel Toriba exibe Restauros de Afrescos de Fulvio Pennacchi

por: - Atualizado: 09/09/2004 00:00
Tradicional hotel de Campos do Jordão presta homenagem ao pintor Fulvio Pennacchi em um banquete cultural. Há 61 anos, o artista de origem italiana Fulvio Pennacchi, esteve no Hotel Toriba  pintando nas paredes dos salões onze afrescos que somam mais … Continua

Tradicional hotel de Campos do Jordão presta homenagem ao pintor Fulvio Pennacchi em um banquete cultural.

Há 61 anos, o artista de origem italiana Fulvio Pennacchi, esteve no Hotel Toriba  pintando nas paredes dos salões onze afrescos que somam mais de 100 metros quadrados de pintura. Não se sabe quanto tempo o artista levou na empreitada. Os afrescos foram encomendados a Pennacchi pelos fundadores do hotel, Ernesto Diederichsen e Luiz Villares. O artista, que pertencia ao Grupo Santa Helena, era já nessa época um pintor conhecido, e muito requisitado para pintar afrescos nas residências das famílias abastadas, principalmente as da ascendente colônia italiana em São Paulo. Luis Villares fez uma única exigência a Pennacchi – de que a temática fosse brasileira para contrastar com arquitetura de estilo suíço do hotel. Por essa razão, esses afrescos são os primeiros com temática brasileira desse artista, que anteriormente pintava em paredes, a saudade de sua terra natal.
 Em busca da “brasilidade” Pennacchi buscou inspiração no cancioneiro popular para pintar os afrescos localizados na sala da lareira do hotel. Numa época de crescente industrialização e urbanização, o pintor, fez com esse trabalho, uma apologia da vida simples e autentica do campo, numa narrativa visual de três famosas canções, escrevendo inclusive alguns versos no rodapé das pinturas. Nos afrescos pintados no bar e no restaurante o pintor procurou relacionar o tema ao espaço da pintura, pintando uma festa rural e representando o folclore gastronômico através do churrasco gaúcho.  Já nos afrescos “Entradas” e “Bandeiras”, Pennacchi representa eventos da História Paulista.
 Outros artistas emblemáticos da modernidade brasileira estiveram em Campos do Jordão na primeira metade do séc. XX, em busca da paisagem montanhosa e da luminosidade radiante da cidade.  Aldo Bonadei, Rebolo Gonzales, Clóvis Graciano e Walter Zanini, companheiros de Pennacchi no Grupo Santa Helena montaram seus cavaletes nas  montanhas da cidade. Lazar Segall, Sérgio Milliet, Tarsila do Amaral e Rossi Osir subiram a serra juntos. Camargo Freire, integrante do carioca Núcleo Bernadelli e o pintor-marinheiro José Pancetti
procuraram o oxigenado ar de Campos do Jordão para tratar da tuberculose. A vivência desses artistas nessa cidade ficou perpetuada em inúmeras obras de arte.
 Passado esse longo período, o Hotel Toriba contratou o restaurador Julio de Moraes e sua equipe para rejuvenescer seus afrescos que consituem o segundo maior conjunto murais de Fulvio Pennacchi. Aproveitando a ocasião o hotel promove entre os dias 19 e 21 de setembro um workshop e uma exposição com trabalhos inéditos de Fulvio Pennacchi.  O evento, coordenado pela arquiteta e pesquisadora Flávia Rudge Ramos levará a Campos do Jordão alguns dos maiores especialistas em modernismo brasileiro. O curso apresenta a evolução da arte do academicismo ao abstracionismo através da paisagem como temática. Elza Ajzenberg, diretora do Museu de Arte Contemporânea e Lisbeth Rebollo, presidente da ABCA (Associação Brasileira de Críticos de Arte) farão palestras que terão como objetivo contextualizar a obra de Fulvio Pennacchi, falando do academicismo, do modernismo e do Grupo Santa Helena. Júlio Moraes apresenta o trabalho de restauração em andamento e o escritor Valério Pennacchi discorre sobre a vida e a obra de Fulvio Pennacchi.
 Uma visita monitorada ao valiosíssimo acervo do Palácio da Boa Vista colocará os participantes em contato direto com obras dos mais importantes artistas brasileiros. O Palácio guarda, por exemplo, a maior coleção de Tarsila do Amaral.O abstracionismo será
exemplificado no Jardim de esculturas de Felícia Leirner, localizado próximo ao auditório, numa paisagem com vista deslumbrante.
 Para o deleite dos participantes, haverá também uma apresentação musical destacando as canções que inspiraram Fulvio Pennacchi na pintura dos afrescos. Tudo isso terá lugar num dos hotéis mais charmosos do Brasil. O Hotel Toriba está localizado numa área de 70.000 m² com bosque de árvores nativas  e extensos jardins. Possuí 28 apartamentos e 4  chalés confortáveis e bem decorados, dois restaurantes, piscina aquecida, saunas e fitness. O hotel oferece para o participante do workshop pacote completo de duas diárias, refeições inclusas,
por preço promocional. As inscrições estarão abertas também para quem não estiver hospedado no hotel e desejar participar do workshop.

 O workshop acontece no Hotel Toriba em Campos do Jordão de 19 a 21 de Setembro tem como objetivo a Divulgação e conhecimento do patrimônio artístico de Campos do Jordão: Os 11 afrescos pintados por Pennacchi no Hotel Toriba, por ocasião do processo de restauro em
oficina aberta; o Palácio da Boa Vista e seu acervo; e o Jardim de Esculturas  de Felícia Leirner. Amplamente ilustrado com textos, imagens e obras de arte, o curso mostra a evolução da arte do academicismo ao abstracionismo.
 O workshop é dirigido a todos que se interessam pela arte e sua história.

PROGRAMAÇÃO:

 19 de setembro (domingo)
16h00 – Check-in no Hotel Toriba
17h00 – Apresentação de abertura do evento. Justificativa  e objetivos                                  
17h30 – Introdução à Oficina  de Restauro
A importância do restauro como resgate da obra  de arte.
19h00 – Vernissage com coquetel.
Exposição “Estudos para Murais de   Pennacchi” 
Esboços, desenhos, pinturas e projetos.       
20h30 – Jantar

 20 de setembro (segunda feira)
Café da manhã a partir das 7h
9h30 – A Paisagem na Pintura
Abordagens da paisagem na pintura brasileira na primeira metade do séc. XX regionalidade,
academicismo e modernismo.                                             
11h00 – Coffee-Break
11h30 – Grupo Sta. Helena como exemplo da representação moderna da paisagem
13h00 – Almoço
14h30 – Visita monitorada ao Palácio da Boa Vista
Arquitetura: George Ptzrembel (prédio principal) e Paulo Mendes da Rocha (capela)
Arte Cuzquenha, mobiliário barroco luso-brasileiro, arte sacra, Rococó, tapeçarias sécs.
XVII e XVIII. Percurso da modernidade brasileira: Tarsila do Amaral (maior coleção da
artista), Anita Malfatti, Alfredo Volpi, Mario Zanini, Di Cavalcanti, V. Brecheret e outros.
Arte Contemporânea: E. Becheroni, Calabroni, Glauco P. de Moraes, Mestre Zezinho entre
outros.
16h00 – Coffee-break
16h30 – Fulvio Pennacchi e a Pintura Mural                       
20h30 – Jantar
21h30 – Apresentação de música popular brasileira   destacando  as músicas que inspiraram os afrescos do hotel.

 21 de setembro (terça feira)
Café da manhã a partir das 7h
10h00 – A Arte na Paisagem – O Jardim de  Esculturas de Felícia Leirner. Visita monitorada
em comemoração ao centenário do nascimento da escultora.
11h30 – Mesa redonda
O diálogo entre a arquitetura, o paisagismo e as artes  plásticas, potencializando os
atributos da qualidade do espaços públicos e privado.
13h00 – Almoço de encerramento

 PALESTRANTES:
_ Flávia Rudge Ramos
Arquiteta, designer e marchand. Trabalha na formação e organização de coleções particulares.
Mestranda em História e Estética da Arte pela USP. Desenvolve dissertação intitulada
“Pennacchi e seu Templo”.
_ Julio Moraes
Restaurador, responsável, juntamente com sua equipe  pela restauração dos afrescos de
Pennacchi do Hotel Toriba e de inúmeros murais, igrejas, pinturas e esculturas; tendo
prestado serviços para órgãos de defesa do patrimônio, museus, prefeituras, governo do
Estado, instituições culturais e colecionadores particulares. 
_ Lisbeth Rebollo
Pesquisadora, historiadora e crítica de Arte. Profa. Dra. da Escola de Comunicações e Artes
da USP. Presidente da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA). Ex-diretora do
Museu de Arte Contemporânea. Autora de  “Aldo Bonadei – Introdução ao Percurso de um Pintor” e “Sérgio Milliet, Crítico de Arte”, entre outros.
_ Elza M. Ajzenberg
Pesquisadora, historiadora e crítica de Arte. Profa. Dra. da Escola de Comunicações e Artes
da USP. Coordenadora do Programa de Pós-Graudação Interunidades em Estética e História da
Arte. Diretora do Museu de Arte Contemporânea (MAC). Autora de “Rebolo”, entre outros.
_ Valério Pennacchi
Pesquisador e escritor. Especialista na obra de Pennacchi. Diretor da Sociarte (associação
de colecionadores de arte brasileira). Autor de “Pennacchi – Pintura Mural”, “Fulvio
Pennacchi – 40 anos de pintura”,  entre outros.

INFORMAÇÕES, INSCRIÇÕES  E RESERVAS
0800 178 179 ou  12 3668-5000
E- MAIL :
[email protected]
             www.toriba.com.br